PM e ex-PM suspeitos de morte de Marielle e Anderson passam a noite em delegacia

O sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, 46 anos, presos na madrugada desta terça-feira, suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, passaram a madrugada na Divisão De Homicídios da Capital, na Barra da Tijuca. A expectativa é que nos próximos três dias eles sejam transferidos para uma penitenciária. Ronnie e Elcio, até o momento não prestaram depoimento.

Desde as 4h desta quarta-feira equipes da Polícia Civil, da Core e do Ministério Público saem em comboios da DH. Cerca de 100 Policiais Civis estiveram na DH durante a madrugada. Ainda não é possível afirmar se há uma operação e se a movimentação do Polícia Civil e do MP está ligada ao caso Marielle, diz o Extra.

O Delegado DH responsável pelas investigações do caso Marielle, Giniton Lajes, afirmou nesta terça-feira, que uma segunda fase irá começar para que mais detalhes sejam revelados sobre o assassinado de Marielle e Anderson.

Na próxima quinta-feira, os assassinatos completam um ano. Os dois tiveram prisões preventivas decretadas pelo juiz do 4º Tribunal do Júri Gustavo Kalil após denúncia da promotoria. Segundo a denúncia do Ministério Público (MP) do Rio, Lessa teria atirado nas vítimas, e Elcio era quem dirigia o veículo usado na emboscada. O segundo acusado foi expulso da corporação.

Lessa e Elcio foram denunciados pelo assassinato e também pela tentativa de homicídio de Fernanda Chaves, assessora da vereadora que estava no carro e sobreviveu ao ataque. A ação foi batizada de Operação Lume, uma referência ao local no Centro de mesmo nome, na Rua São José, onde Marielle prestava contas à população sobre medidas tomadas em seu mandato. Ali ela também desenvolvia o projeto Lume Feminista.

13/03/2019

(Visited 7 times, 1 visits today)